História

2019

Início do Ensino da Ciência de Dados. O Iscte é a primeira instituição de Ensino Superior a ter uma licenciatura nesta área.

2018

Maria de Lurdes Rodrigues é eleita Reitora. É a primeira vez que uma mulher lidera a instituição. Maria de Lurdes Rodrigues é Professora Associada com Agregação no Iscte, instituição onde se licenciou e doutorou em Sociologia e onde leciona desde 1986. É investigadora do CIES, Centro de Investigação e Estudos de Sociologia. Entre 2005 e 2009, foi Ministra da Educação.

2017

Júlio Pedrosa é eleito Presidente do Conselho Geral.

2016

Carlos Santos Ferreira é eleito Presidente do Conselho de Curadores.

2013

Luís Antero Reto é eleito Reitor (2013-2018).

2012

Aquisição dos terrenos e das instalações do IMT com o intuito de expandir o campus do Iscte.

2010

Início do Ensino de Serviço Social, incentivando a criação de uma nova área do saber.

2009

Passagem ao regime fundacional, através do Decreto-lei nº 95/2009, de 27 de abril. O Iscte passa a ser o primeiro instituto universitário do país em regime de fundação

Luís Antero Reto é eleito Reitor (2009-2013)

Publicação dos Estatutos do Iscte – Instituto Universitário de Lisboa

António Ramalho Eanes é eleito Presidente do Conselho de Curadores (2009 – 2015)

Carlos Lopes é eleito Presidente do Conselho Geral (2009-2017).

2007

Aprovação pelo Senado da alteração da denominação para ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa

Lançamento da Licenciatura em Finanças e Contabilidade

2005

Luís Antero Reto é eleito Presidente do Iscte (2005-2009)

Integração no Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP)

2002

Inauguração do Edifício II (30501 m2), desenhado por Raúl Hestnes Ferreira – Prémio Valmor

2000

Aprovação dos novos estatutos, que conferem ao Iscte o estatuto de universidade, através do Despacho Normativo nº 37/2000 de 5 de setembro.

1998

26 anos depois da criação do Iscte, deu-se início ao Ensino de Arquitetura.

1996

Manuel Alberto Martins Ferreira é eleito Presidente do Conselho Diretivo (1996-2000)

Integração na Fundação das Universidades Portuguesas (FUP)

1995

Construção do Edifício do INDEG - 3300m2

Construção da Ala Autónoma - 5183 m2

1994

Construção do Pavilhão Esplanada - área 119 m2

Constituição da Unidade de Investigação em Desenvolvimento Empresarial (UNIDE)

1992

João Ferreira de Almeida é eleito Presidente do Iscte (1992-2005)

1991

Constituição do Centro de Estudos Territoriais (CET)

1990

Publicação dos primeiros Estatutos do Iscte, pelo Despacho Normativo nº 11/90, de 7 de fevereiro

Afonso de Barros é eleito Presidente do ISCTE (1990-1992)

José Manuel Paquete de Oliveira é eleito Presidente do Conselho Diretivo (1990-1995)

1989

Constituição do Centro de Intervenção Social (CIS)

Constituição do Centro de Estudos sobre a Mudança Socioeconómica (Dinamia)

Constituição da Associação para o Desenvolvimento das Telecomunicações e Técnicas de Informática (ADETTI)

1988

Constituição do Instituto para o Desenvolvimento da Gestão Empresarial (INDEG)

Início do ensino na Área de Tecnologias de Informação

1986

Constituição do Centro de Estudos de Antropologia Social (CEAS)

1985

Constituição do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES)

1984

José Prostes da Fonseca é eleito Presidente do Conselho Diretivo (1984-1990)

1983

É a partir deste ano que o Iscte passa a estar habilitado a conferir doutoramentos, através do Decreto-lei nº 167/83, de 25 de Abril

Carlos Caiano Pereira é eleito Presidente do Conselho Diretivo (1983 -1984)

1982

Início do ensino de Antropologia

1981

Constituição do Centro de Estudos Africanos (CEA)

1980

Eduardo Gomes Cardoso é eleito Presidente do Conselho Diretivo (1980 – 1983)

1978

Inauguração do Edifício I (com uma área de 11 349 m2), desenhado por Raúl Hestnes Ferreira, e saída das instalações do Campo Grande.

Francisco Pina Prata é eleito Presidente do Conselho Diretivo (1979 – 1980)

1977

José Joaquim Laginha é eleito Presidente do Conselho Diretivo (1977–1979). Emblemático docente do Iscte, fez parte do primeiro corpo docente da área da Gestão, fomentando o contacto com áreas científicas tão distintas como a Sociologia, a História ou a Antropologia.

Reconhecimento da Licenciatura em Sociologia

1975

Ainda em pleno processo de implantação da democracia, é constituído o primeiro centro de estudos do Iscte, o Centro de Estudos de História Contemporânea Portuguesa (CEHCP)

1973

Um ano depois do nascimento da instituição de ensino superior, Henrique Martins de Carvalho, ex-Ministro da Saúde e Assistência do Governo de Marcello Caetano, é nomeado para Diretor do Iscte (1973-1974).

1972

Estávamos em pleno verão. No início do ano letivo, os 296 estudantes inscritos foram os pioneiros do Iscte. Dos fundadores, 219 inscreveram-se em Economia, 66 em Organização e Gestão de Empresas e 11 em Ciências do Trabalho

Criação do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), através do Decreto-lei nº522/72, de 15 de dezembro, que extingue o Instituto de Estudos Sociais. Fomentado por Adérito Sedas Nunes, economista de formação e um defensor da “humanização” das relações sociais, o Iscte surgia então como um novo espaço escolar, vanguardista, num contexto pouco favorável a projetos inovadores.

Voltar ao topo