Docentes

Doutorada em Ciências Políticas e Sociais pelo Instituto Universitário Europeu (EUI), em Florença (2011), Ana Espírito-Santo é, desde 2011, Professora Auxiliar no ISCTE-IUL e investigadora do CIES-IUL. Antes de começar o doutoramento trabalhou como Assistente de Investigação no Instituto de Ciências Sociais, ICS (2002-2005), como Investigadora Júnior convidada no Social Science Research Center (WZB), em Berlim (2005-2006) e como Investigadora Júnior na Universidade Complutense de Madrid (2007). Entre Janeiro e Março de 2011 foi Professora Assistente na University of London, Birkbeck College, em Londres. É licenciada em Sociologia (2001) e mestre em Ciência Política (2006), ambos os graus obtidos no ISCTE. As suas principais áreas de investigação são: género e política, política comparada, representação política, sistemas eleitorais, metodologia e análise de dados. Tem participado como investigadora em projectos de investigação (de âmbito nacional e internacional) sobre estes e outros temas, no ICS, no CIES-IUL, no EUI e na University of California, em San Diego (EUA). É autora e co-autora de vários capítulos de livros e de artigos em revistas prestigiadas, incluindo a West European Politics, Electoral Studies e a Party Politics. Tem apresentado o seu trabalho em várias conferências nacionais e internacionais, entre as quais APSA, MPSA e ECPR. 
  Ana Lúcia Sá, Doutora em Sociologia, é Professora Auxiliar no Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas e investigadora no centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL. É a diretora do Mestrado em Estudos Africanos do ISCTE-IUL. É Book Review Editor na African Studies Review (https://www.cambridge.org/core/journals/african-studies-review). A sua investigação centra-se nas relações sociedade-Estado em regimes autoritários em África, na resiliência do autoritarismo e em movimentos sociais.  
Ana Maria Belchior é professora auxiliar, com agregação, no Departamento de Ciências Políticas e Políticas Públicas do ISCTE-IUL (Instituto Universitário de Lisboa) em Lisboa e investigadora do CIES-IUL. Atualmente é coordenadora do Mestrado em Ciência Política, no ISCTE-IUL. Participou em vários projetos de investigação relacionados com temas como: de democracia e globalização, participação política, representação democrática, congruência política e promessas eleitorais e tomada de decisão. Publicou os resultados da pesquisa em livros e capítulos de livros e em diversas revistas nacionais e internacionais (por exemplo, Comparative Political Studies, International Political Science Review, Party Politics, Sociological Methods & Research, Journal of Contemporary European Studies, ou Journal of Legislative Studies).
André Freire é Professor Catedrático em Ciência Política, Diretor do Doutoramento em Ciência Política, 2015-presente data, e Diretor da Licenciatura em Ciência Política, 2009-2015, ISCTE-IUL (Instituto Universitário de Lisboa). Investigador Sénior do CIES-IUL. Tem lecionado e/ou apresentado conferências como convidado ainda em várias outras universidades portuguesas (FD-UL, FD-UC, FE-UC, ICS-UL) e estrangeiras (IEP-UB-FR, ULB-BEL, IEP-EU, UMD-USA, UAM-ESP, ICJS-CV, UM - IT). Freire tem dirigido vários projetos de pesquisa sobre ideologia (esquerda-direita, etc.), ao nível de elites e massas, comportamento eleitoral e atitudes políticas, sobre instituições e reformas políticas, e ainda sobre representação política. Ver por exemplo: http://er.cies.iscte-iul.pt/ Freire tem publicado em diferentes línguas vários livros, capítulos de livros e artigos (em revistas académicas). Nomeadamente, tem publicado nas seguintes revistas Comparative European Politics, West European Politics, Pôle Sud – Revue de Science Politique, International Political Science Review, European Journal of Political Research, Electoral Studies, Representation, South European Society and Politics, Party Politics, Revista Ibero Americana de Estudos Legislativos – Ibero-American Journal of Legislative Studies, Journal of European Integration, The Journal of Legislative Studies, Journal of Elections Public Opinion and Parties, Brazilian Political Science Review, Journal of Political Ideologies, Communist and Post-Communist Studies, Transfer – European Revue of Labour and Research, Election Law Journal, etc.  Três dos seus últimos livros são: Freire, André (2017), Para lá da «Geringonça»: O Governo de Esquerdas em Portugal e na Europa, Lisboa, Contraponto. Prefácio do primeiro-ministro, António Costa. Freire, André, Marco Lisi & José Manuel Leite Viegas (eds.), (2016), Participação e Representação Políticas na Europa em Crise, Lisboa, Assembleia da República, Coleção Parlamento. Freire, André (organizador) (2015), O Futuro da Representação Política Democrática, Lisboa, Nova Vega. Foi colunista regular do jornal Público desde Março de 2006 até Janeiro de 2016, e é atualmente colunista do Jornal de Letras desde Maio de 2017, além de várias outras colaborações ocasionais na imprensa, rádio e TV, e tem sido ainda perito e consultor convidado de várias instituições nacionais (FCT, A3ES, DGAI-MAI, AR, etc.) e internacionais (COST, Comissão Europeia, Conselho da Europa – Programa Co-Acte, etc.) para os assuntos ligados ao ensino superior e à investigação em Ciências Políticas.      
Professor Auxiliar convidado no Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas do ISCTE-IUL; Professor Auxiliar Convidado do Departamento de Economia do ISEG-UL; Investigador Associado (FCT) do CESA - Centro de Estudos sobre África, Ásia e América Latina/ISEG da Universidade de Lisboa. Leciona as UCs de 'Sociedade e Políticas Sociais' e Reforma do 'Modelo Social Português e Transformações Sociais' na licenciatura de Serviço Social no ISCTE-IUL. No  ISEG é também docente de AIEE nas licenciaturas de Economia, Finanças e Gestão, de 'Globalização e Desenvolvimento' no mestrado em Desenvolvimento e Cooperação Internacional e de 'Research Seminar' no doutoramento em Development Studies. É também docente de Políticas Públicas Sociais no INA- Instituto Nacional da Administração Pública. Como experiência profissional internacional,  foi assessor internacional do Governo de Timor-Leste entre 2010 e 2012, onde junto do Ministério da Solidariedade Social foi responsável pela criação do 1º regime de Segurança Social no país. Posteriormente foi nomeado Adido para a Cooperação na Embaixada de Portugal em Timor-Leste, onde foi responsável pela coordenação dos projetos da Cooperação Portuguesa e representação política nesse domínio, entre 2012 e 2015. Em termos de formação começou o seu percurso em Economia no ISEG em 1997 mas acabou por se licenciar em Serviço Social no ISSSL em 2003. Voltou ao ISEG em 2004 para realizar o Mestrado em Economia e Política Social, que conclui em 2006. Tendo ingressado de seguida no doutoramento interdisciplinar em Ciências Sociais no ICS-UL, com Bolsa FCT, que viria a concluir em 2015, com a tese “Despesa e Redistribuição na Segurança Social em Portugal: análise da Reforma de 2007”. Em termos de publicações tem desenvolvido investigação na área das reformas da Segurança Social, contando com 4 artigos publicados indexados (1 A; 1 C; 1 D); 1 capítulo de livro; 3 working papers e vários policy papers/briefs e comunicações em conferências internacionais e nacionais. A nível nacional tem também experiência “ de terreno” no sector das IPSS/ONGDs onde ocasionalmente presta serviços de consultoria e formação na área das políticas sociais e avaliação de projetos.      
David Ferraz é doutorado em Políticas Públicas pelo ISCTE-IUL, mestre em Administração e Políticas Públicas (ISCTE-IUL - 2008) e licenciado em Gestão e Administração Pública (ISCSP-UTL - 2004). É diplomado pelo Curso de Estudos Avançados em Gestão Pública (CEAGP - 2006), especialização em Desenvolvimento Organizacional, Liderança e Gestão de Pessoas e pelo Curso de Formação em Gestão Pública (FORGEP - 2012) do INA. Entre 1999 e 2004 desempenhou funções em várias empresas do setor privado. Desempenhou funções na Unidade de Investigação e Consultoria do Instituto Nacional de Administração, I.P. (2006-2010) e foi dirigente da Unidade de Formação em Gestão e Administração Pública (2010-2012), foi dirigente da Divisão de Recrutamento e Seleção do INA, prestando esta U.O. apoio à CRESAP (2012-2017) e é atualmente dirigente do Departamento de Recursos Humanos do IHRU, I.P. (desde Setembro de 2017). É investigador convidado do Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP) do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP-UTL), integrando o Grupo de Investigação em Ciência da Administração. Desenvolveu, desde 2004, funções de docência em diversos cursos do INA e ISCTE-IUL (CAGEP; FORGEP; CADAP; Desenho, Implementação e Avaliação de Políticas Públicas; Diploma de Especialização em Gestão Pública; Diploma de Especialização em Políticas Públicas; Reforma e Modernização Administrativa - 6 ECTS). Foi convidado a proferir lectures na HSE - Moscow (High School of Economics, School of Public Administration) nas áreas da Gestão e Administração Pública. Tem participado em grupos de trabalho e apresentado comunicações científicas em congressos de organizações internacionais como: a American Society for Public Administration, o Centro Latino Americano para el Desarollo, a International Association of Schools and Institutes of Administration, a Public Administration Theory Network. É autor e co-autor de várias publicações, nacionais e internacionais, nas áreas da Gestão, Administração, Políticas Públicas ou Gestão de recursos humanos.
A minha principal área de investigação e formação é a sociologia política, sendo o meu foque de pesquisa e ensino sobretudo a sociologia dos movimentos sociais. Publiquei extensivamente nesta área, quer artigos nas principais revistas internacionais, quer uma monografia e uma coleção sobre teoria dos movimentos sociais na Europa. Tenho experiência em obter e gerir fundos de investigação, de forma independente e em colaboração com colegas. Tenho uma experiência considerável no ensino e desenvolvimento de cursos  para alunos de graduação e pós-graduação. A minha pesquisa de doutoramento explorou a influência dos movimentos sociais na mudança social e institucional no sul da Europa, focando sobretudo o caso português entre autoritarismo e ditadura e nos anos da austeridade. Os resultados deste trabalho foram publicados no meu livro The Revolution before the Revolution (Berghahn 2016), e em vários artigos em revistas como Democratization, Cultures et Conflits e Análise Social. Mais recentemente, e com base nesse trabalho, investiguei as consequências biográficas do ativismo político, considerado como uma forma de socialização secundária, sendo este o tema na base de um projeto de investigação do qual fui PI, financiado pela Fundação Portuguesa para a Ciência e Tecnologia (FCT): ‘Can activism change political and social values and attitudes? Long term effects of political engagement in Portugal and Spain’ (FCT, 50.000€). Além de vários capítulos de livro em inglês e português, alguns dos resultados desta pesquisa serão publicados na revista Social Movement Studies. Ao longo destes últimos anos, a minha pesquisa centrou-se principalmente nas consequências sociais e políticas da austeridade no sul da Europa. Analisei os movimentos sociais urbanos e as novas formas de luta emergentes em contextos de crise e austeridade. Esta pesquisa resultou em capítulos de livros e em artigos nas revistas Estudos Ibero-Americanos e West European Politics  (em coautoria com Pedro Ramos Pinto). Em 2017, fui visiting researcher no CUNY Graduate Center (NYC) e durante esta estadia comecei um novo projecto de investigação, em ligação ao meu interesse para com os movimentos sociais urbanos no contexto da crise, mas mais focado sobre o activismo relacionado com o direito à habitação e anti-gentrificação na cidade de Nova York. Isto tem sido fundamental para a elaboração do projeto HOPES: HOusing PErspectives and Struggles in Lisbon and Beyond, que estou a coordenar como Investigador Principal (FCT, 230.000€). Este projecto visa compreender as novas formas de activismo ligado à habitação e anti-gentrificação no caso de Lisboa, através de uma comparação com o caso de NYC-Lower East Side, onde estas dinâmicas têm uma história mais longa e consolidadas. Desenvolvi estadias em vários centros internacionais, além de que no CUNY-GC, no Centro de Estudios Avançados e Ciencias Sociales (CEACS, Madrid) e no Centre de Recherche sur l'Action Politique (Universidade de Lausanne) na Suíça. O meu interesse pelos movimentos sociais não foi apenas empírico, mas tentei também contribuir para a evolução da disciplina do ponto de vista teórico e metodológico. Um dos resultados dessa reflexão foi o livro Social Movements Studies in Europe. The State of the Art (Berghahn 2016), que coeditei com Olivier Fillieule. O papel das novas tecnologias digitais nos movimentos sociais está contemplado em toda a minha mais recente investigação e está directamente analisado em várias publicações, como os capítulos de livro ‘The “Mediation” of the Portuguese Anti-Austerity Protest Cycle. Media Coverage and its Impact’ e ‘Social Movements, participation and crisis in Europe’ (com Gustavo Cardoso, Tiago Lapa e Joana Azevedo). Este tópico tem sido também uma das minhas principais áreas de ensino, tendo desenvolvido e ensinado um curso sobre "Movimentos Sociais na Era Digital "(em inglês). Além disso, tenho experiência como supervisor de estudantes de mestrado e doutoramento e ensinei outros assuntos na área de sociologia e ciência política - como "Democracia: problemas e debates", para estudantes de mestrado em ciências políticas. Finalmente, tenho coordenado, desde 2014, com Britta Baumgarten, o "Seminário Mensal sobre Movimentos Sociais e Ação Política", com o objetivo de institucionalizar o estudo dos movimentos sociais na minha universidade (ISCTE-IUL) – e em geral em Portugal - e de estabelecer pontes entre diferentes tradições e campos de pesquisa na área de movimentos sociais, prestando especial atenção a áreas como a África de língua portuguesa e o Brasil.  
Helge Jörgens é Professor Auxiliar no Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa e Investigador Integrado no CIES-IUL - Centro de Investigação e Estudos de Sociologia. Licenciou-se em Ciência Política na Freie Universität Berlin, Alemanha, em 1994. Concluiu o doutoramento em Ciência Política também na Freie Universität Berlim em 2010. Entre 2010 e 2016 foi Professor Associado no Departamento de Ciência Política e Ciências Sociais da Freie Universität Berlin e Director Gerente do Centro de Investigação de Política do Ambiente (FFU). As áreas de interesse incluem as política do ambiente, da energia e do clima, o papel e a influência de burocracias internacionais, e a difusão e transferência de políticas públicas.
Licenciado em Direito e pós-graduado em Ciências Jurídico-Políticas pela Faculdade de Direito de Lisboa. Doutorado em Políticas Públicas pelo ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa.  Exerce funções docentes desde 1977, primeiro na Faculdade de Direito de Lisboa e, a partir de 1995, no ISCTE - IUL, onde leciona Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Económico, Direito da Educação, Ciências da Administração e Gestão Pública em diversas licenciaturas e mestrados. É Diretor do Mestrado em Administração Pública e dos Cursos de Formação em Alta Direcção na Administração Pública (CADAP, FORGEP e CAGEP), bem como coordenador científico do Curso de Pós-Graduação em Finanças Públicas para auditores do Tribunal de Contas de Angola e quadros superiores dos Ministérios das Finanças dos PALOP e Timor-Leste (UE/PNUD). É ainda Subdiretor do Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas e membro da direção do Instituto de Políticas Públicas e Sociais (IPPS-IUL).  Desde 1982 colabora com o Instituto Nacional de Administração (INA) na formação de dirigentes e quadros superiores da Administração Pública, tendo sido responsável pela conceção e leccionamento de múltiplos cursos nas áreas da ciência política, administração pública, direito administrativo, feitura das leis e comunicação jurídica.  A partir de 1994 desenvolve atividades de consultoria ligadas à reforma do Estado e da Administração Pública, em particular  no âmbito de projectos da União Europeia, nomeadamente nos PALOP, no Brasil e em países da Europa de Leste e da antiga União Soviética, bem como na China, onde entre 2003 e 2007 coordenou pela parte europeia o mestrado em Administração Pública da Escola Nacional de Administração Pública (CNSA).  A partir de 1983 e até 1987 foi, sucessivamente, consultor do Gabinete do Ministro da Justiça, do Gabinete de Apoio Técnico Legislativo do Ministério da Justiça e do Centro de Estudos Técnicos e Apoio Legislativo da Presidência do Conselho de Ministros. De 1987 a 1992, exerceu funções dirigentes na Comissão de Coordenação da Região de Lisboa e Vale do Tejo e, entre 1992 e 2004, no Centro de Estudos para o Desenvolvimento Regional e Local.  Apresenta com regularidade comunicações em seminários e conferências nas suas áreas de especialidade e é organizador e autor ou co-autor de diversos livros e outras publicações.
Doutorado em Sociologia (Instituto Universitário de Lisboa, ISCTE-IUL). Assessor para os Assuntos da Educação da Casa Civil do Presidente da República. Investigador do Centro de Investigação e Estudos em Sociologia (CIES/ISCTE-IUL). Lecionou nos mestrados de Administração Escolar e de Sociologia do Trabalho, do Emprego e das Organizações, bem como na Licenciatura em Sociologia, no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Desempenhou as seguintes funções: Secretário de Estado da Educação do XVIII Governo Constitucional; Diretor-Geral do Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE); Coordenador do Plano Tecnológico da Educação (PTE); Presidente do Grupo de Trabalho sobre Estatísticas da Educação e Formação do Conselho Superior de Estatística; Vogal do Conselho Superior de Estatística; Diretor, em exercício, do Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema Educativo (GIASE); Diretor-Adjunto do Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema (GIASE); Diretor do Observatório da Inovação e Conhecimento (OSIC-UMIC); Coordenador do Núcleo de Produção de Indicadores Estatísticos para a Sociedade da Informação no Observatório da Ciência e Tecnologia (OCT-MCT); Colaborador do Observatório das Atividades Culturais (OAC). Representante nacional em vários grupos de trabalho da OCDE, EUROSTAT e Comissão Europeia nos domínios da Educação e da Sociedade da Informação.
João Sebastião é graduado em Pedagogia (1980) e em Sociologia (1988), Mestre em Sociologia Urbana e Rural (1995) e doutorado em Sociologia (2007). Tem como principais áreas de investigação a educação, as políticas educativas e a marginalidade juvenil. Durante o período de 1989 e 2011, lecionou sociologia na Escola Superior de Educação de Santarém, principalmente na graduação e pós-graduação em formação de professores e em Educação Social. Atualmente é professor do Instituto Universitário de Lisboa.É diretor do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (CIES-IUL) de que é investigador desde 1988. Autor e co-autor de diversos artigos em revistas científicas, capítulos de livros e livros nacionais e internacionais. Algumas de suas publicações mais recentes incluem capítulos de livros e artigos de revistas sobre desigualdades sociais em educação e violência escolar. Membro do Conselho Editorial das revistas Interacções (Portugal) e Meta: Avaliação (Brasil).
João Carvalho é Doutorado em Ciência Política pela Universidade de Sheffield (Reino Unido), mestre em Política Comparada pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-UL), e licenciado em História Moderna, Política e Filosofia pela Universidade de Southampton (Reino Unido).           Tendo sido Professor Auxiliar Convidado no Departamento de Ciência Política do ISCTE-IUL entre 2015 e 2018, atualmente desempenha funções na categoria de investigador auxiliar integrado no CIES-IUL. Neste momento, coordena os projetos científicos intitulados: Apoio e Oposição à Imigração em Portugal, desenvolvido com o apoio financeiro da Fundação de Ciência e Tecnologia (PTDC/IVC-CPO/1069/2014); e O impacto da imigração na agricultura Portuguesa: o caso do Alentejo (PT/2018/FAMI/352) financiado pelo Fundo do Asilo, Migração e Integração. Os seus interesses de investigação centram-se em questões de política comparada, política das migrações internacionais, partidos políticos, e partidos de extrema-direita em particular. Em termos de métodos de investigação científica, as investigações da sua autoria desenvolvem estratégias de investigação de carácter qualitativo ou mistas, com especial destaque para análises comparadas qualitativas (QCA). Em termos de publicações, a monografia intitulada: Impact of extreme Right Parties on Immigration Policy. Comparing Britain, France and Italy foi publicada pela Routledge em 2014 e 2016. Autor e co-autor de diversos capítulos de livro editados em português, inglês e francês, é ainda autor de diversos artigos publicados em revistas internacionais categorizadas no primeiro quartil da SCOPUS (Party Politics, Comparative European Politics, Government and Opposition, Parliamentary Affairs, Ethnic and Racial Studies, Mediterranean Politics, Patterns of Prejudice).   João Carvalho was an invited Assistant Professor in the Department of Political Science at the ISCTE-IUL between 2015 and 2018. Actualy, he is the Principal Researcher at the CIES-IUL of 2 research projects entitled: Support and Opposition to Migration in Portugal (funded by the Portuguese Fundação da Ciência e Tecnologia budget: 168.835,00) and Impact of immigration on the Portuguese Agriculture: the case of Alentejo (funded by Fund of Aslyum, Migration and Integration) A second edition of his comparative monograph entitled: Impact of Extreme Right Parties on Immigration Policy. Comparing Britain, France and Italy, was recently republished by Routledge in 2016. He is the author and co-author of book chapter published in Portuguese, English and French language. He is also the author and co-auhtor of research articles published in high-ranking journals such as Party Politics (forthcoming), Government and Opposition, Comparative European Politics, Parliamentary Affairs, Ethnic and Racial Studies, Patterns of Prejudice. His research interests encompass the politics of international immigration, extreme right parties, comparative politics and qualitative research strategies. He is interested in supervising PhD students working on these subjects.
Jorge Ferreira, Doutor em Serviço Social na especialidade de Serviço Social, Politicas Sociais e Sociedade, (Aprovado com Distinção e Louvor) realizado em associação entre ISCTE/ISSSL, sobre o tema: Serviço Social e Modelos de Bem-Estar para a Infância. Modus Operandi do Assistente Social na Promoção da Protecção à Criança e à Família. Mestrado em Serviço Social sobre o tema, Intervenção Social e Intervenção Judicial no problema Criança Maltratada. Relação e/ou Intersecção (ISSSL:1998), após a Licenciatura em Serviço Social (ISSSL: 1990). Realização de um curso pós-graduado no Instituto Superior de Psicologia Aplicada - História das Ideias e das grandes Doutrinas em criminologia (ISPA: 1993), frequência do ano Zero «Abordagem Sistémica» do curso de Terapia Familiar (Associação Portuguesa de terapia Familiar: 1997), realização de provas de Aptidão Pedagógica e Capacidade Científica (ISSSL: 2000) sobre o tema, Mediação e Intervenção Social em Justiça. Realização de Formação Prática de aprofundamento após Licenciatura no estrangeiro, em Reabilitação Psiquiátrica na Fundação de Waterheuvel, Amsterdão / Holanda (1993), em Reabilitação Psiquiátrica na Société Parisiene d?aide á lá Santé mental - SPASM .Paris (1993); Reinserção e Integração Profissional na Scotish Association for mental healt . Escócia (1994). Participação em programas e projectos de investigação nas áreas da Transferência dos perfis de acção, formação, para desenvolvimento da relação de ajuda aos públicos em situação de abandono (Crianças, Adolescentes) ; Trabalho Social na Europa. Modelo Comparativo em Línguas Românicas e nos domínios do Sistema de Protecção à Criança; Direitos da Criança, politicas sociais de Infância e Intervenção Social com Famílias. Tem 13 artigos científicos publicados e várias comunicações em seminários nacionais e internacionais e comunicações em congressos. Colaborador da Revista Katálisis (revista semestral com circulação em países de língua hispânica e em Portugal dirigida a Assistentes Sociais e Profissionais de áreas afins, Professores, Investigadores). Professor de diferentes Unidades Curriculares ao nível de 1º e 2º Ciclo. Professor Visitante na Universidade Complutense de Madrid (Escuela de Trabajo Social), e na Universidade de Granada (Escuela de Trabajo Social), colaborador com instituições de ensino superior em Portugal (Instituto Universitário de Lisboa . ISCTE) e nos programas de cooperação científica de docentes da Universidade Lusíada de Lisboa (Instituto Politécnico da Guarda, Instituto Politécnico de Beja, Universidade dos Açores). No ano de 2009, Acreditado Avaliador Externo das Novas oportunidades. Vogal de Júri do concurso de dirigente de grau intermédio de 2º grau da Administração Pública. Coordenador pedagógico e cientifico e professor do Curso de Especialização Tecnológica (CET) «Acolhimento em Instituição». (2008/2010). Várias participações no âmbito do Programa Socrates Erasmus (mobilidade de professores) com Universidades Europeia: Complutense de Madrid Espanha, universidade de Kalmar Suécia, Universidade de Mastrich, Holanda, Universidade Bicocca Milão Itália e Universidade de Granada Espanha. Áreas Cientificas de Formação: Teoria e Metodologia do Serviço Social, Teoria Critica e Serviço Social, Investigação em Serviço Social, Seminários de Prática em Serviço Social, Avaliação de Programas de Politicas Sociais, Serviço Social Internacional; metodologias de Investigação, Metodologias Especificas de Intervenção em Gerontologia Social, intervenção Social em Situações de Risco, Intervenção Social com Famílias Maltratantes, intervenção em Rede, Comportamentos Desviantes, Introdução à Criminologia e Vitimologia.
José Santana Pereira (Nisa, 1982) é doutorado em Ciências Políticas e Sociais pelo Instituto Universitário Europeu em Florença (IUE, 2012). A sua investigação tem vindo a centrar-se no campo dos efeitos dos meios de comunicação social na opinião pública e, mais recentemente, no estudo dos sistemas de media nacionais em perspectiva comparada. O comportamento eleitoral e as atitudes políticas (nomeadamente as atitudes em relação à Europa) também fazem parte dos seus interesses de investigação. Nestes domínios, publicou vários artigos e capítulos de livros em língua portuguesa, inglesa e francesa, em revistas como Electoral Studies, South European Society and Politics, Pole Sud, Portuguese Journal of Social Sciences, Relações Internacionais, ou em livros publicados por editoras como a Oxford University Press ou a Routledge. Em Janeiro de 2016 publicou, pela FFMS, o ensaio Política e Entretenimento. Após a licenciatura em Psicologia Social (ISCTE, 2004) e antes do ingresso no programa doutoral do IUE (2008), trabalhou como assistente de investigação no projecto Comportamento Eleitoral e Atitudes Políticas dos Portugueses. Entre 2013 e 2017 foi investigador de pós-doutoramento no Instituto de Ciências Sociais. Colaborou, entre outros, nos projectos EU Profiler (que implementou uma voting advice application para as eleições Europeias de 2009) e Media Profiler (que projectou uma plataforma online para a análise comparativa dos media na União Europeia), ambos sedeados no Robert Schuman Centre for Advanced Studies (RSCAS). Mais recentemente, foi co-líder da equipa portuguesa do projecto EUandI e investigador no projecto Participation in the EU decision-making: Portugal in comparative perspective e líder da equipa portuguesa do projecto Where is My Party?. É um dos investigadores responsáveis pelo projecto Media Systems in Europe, sendo também membro activo dos projectos Changing European Elections (um consórcio entre a Universidade de Aveiro, o ICS e a Universidade do Minho), Crisis, Political Representation and Democratic Renewal (ISCTE-IUL) e Barómetro da Qualidade da Democracia (ICS-UL). É country coordinator para a Itália no projecto Varieties of Democracy, membro da rede NEPOCS e da equipa responsável pelas Sondagens ICS-ISCTE. 
Sociólogo, professor e atual Diretor do Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas do ISCTE-IUL e investigador do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, desde 1987. Membro do Conselho Nacional de Educação. Foi diretor da Revista Sociologia, Problemas e Práticas. Os principais temas de pesquisa são as políticas de luta contra a pobreza e a exclusão social, as políticas sociais, as políticas de educação e de formação, as culturas populares, a reabilitação de pessoas com deficiência e as metodologias de planeamento e avaliação. É autor de livros, capítulos de livros e artigos de revista e outros títulos (mais de uma centena e meia) publicados em Portugal, Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, Itália, Brasil, Mauritânia, Bélgica e Angola. Apresentou comunicações e Conferências em cerca de duzentos encontros científicos em Portugal e no estrangeiro. Foi Director-Geral do Departamento de Estudos, Prospetiva e Planeamento do Ministério do Trabalho e Solidariedade Social (1998-2001), Director-Geral da Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular do Ministério da Educação (2006-2008) e Presidente da Agência Nacional para a Qualificação (2008-2011). Foi membro do Comité de Emprego da União Europeia. É um colaborador ativo de associações diversas, de caráter social, profissional e local.
Carreira multidisciplinar, com licenciatura em jornalismo e comunicação, pós-graduação em sociologia e doutoramento em ciência política. Recebi bolsas de doutoramento em Portugal e no México, uma bolsa de doutoramento na Argentina e um convite para ser investigado visitante na na LSE, em Londres. Actualmente sou investigador do CEI-IUL / ISCTE em Lisboa, Portugal. Em 2009 obteve o doutoramento em Ciência Política na Universidade de Salamanca, Espanha, com uma dissertação que se converteu no meu primeiro livro: Retórica, política e administração pública. Por quê as reformas administrativas? (CLACSO e Universidade Autónoma Metropolitana, 2011). Alem desse trabalho, publiquei outro livro (Ser violento - Capital Intelectual, 2013), bem como 20 artigos em revistas indexadas. Publiquei também várias publicações não-académicas como relatórios institucionais/de consultoria, policy papers, e artigos em jornais e blogs especializados. Fui leader researcher e coordenador de projectos internacionais financiados pela Comissão Europeia e de projectos nacionais com fundos públicos. Coordenei Escolas de Verão sobre Transparência, Integridade e Luta contra a Corrupção e sobre Estudos Latino-Americanos no Instituto Universitário de Lisboa. Desde 2013, tenho leccionado cursos, seminários e conferências em universidades do México, Argentina, Espanha e Portugal (Mestrados e Doutoramentos). Trabalhei como jornalista (rádio e jornal) durante cinco anos, e continuo a colaborar com jornais de América Latina e Europa.
Maria Asensio é professora associada convidada no ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa (IUL) e investigadora integrada no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL). É licenciada em Sociologia pela Universidad Complutense de Madrid (1992), Mestre em Ciências Sociais pelo Centro de Estudos Avançados em Ciências Sociais (CEACS) do Instituto Juan March (1994) e Doutora em Ciências Políticas e Sociologia pela Universidade Autónoma de Madrid (2001). É Doutora Membro do Instituto Juan March de Estudios e Investigaciones (Madrid), Membro da Rede Espanhola de Política Social e sócia da Associação Portuguesa de Ciência Política. Entre 1997 e 2012 foi investigadora do Instituto Nacional de Administração (INA). Tem lecionado na Universidade de Coimbra (2001-2008), na Universidade de Évora (2008-2011) e no ISCSP-UL (2011-2018). Desde 2012 é Investigadora Principal da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP) no Ministério das Finanças. Tem participado em diversos projetos de Investigação na área das políticas públicas, sendo de destacar o atual projeto financiado pela Norface (2014-2018): “Healthdox: The Paradox of Health State Future”, onde participa como investigadora principal. 
MARIA DE LURDES REIS RODRIGUES Local e data de nascimento: Lisboa, 19 de Março de 1956 Nacionalidade: portuguesa Qualificações académicas 2003 Provas de Agregação em Sociologia no ISCTE-IUL 1996 Doutoramento em Sociologia no ISCTE-IUL 1984 Licenciatura em Sociologia no ISCTE-IUL Cargos e situação profissional actual Desde 1 de Maio de 2010 Presidente do Conselho Executivo da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) Desde Novembro de 2010 Docente no Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas do ISCTE-IUL Cargos e actividades anteriores 2005-2009 Ministra da Educação, desde 12 de Março de 2005 a 25 de Outubro de 2009 1986-2005 Docente no Departamento de Sociologia do ISCTE-IUL, na Licenciatura de Sociologia e investigadora do CIES, Centro de Investigação e Estudos em Sociologia. 2004-2005 Presidente do Conselho Científico do ISCTE-IUL 1997-2002 Presidente do Observatório das Ciências e das Tecnologias do Ministério da Ciência e da Tecnologia. 1999-2002 Representante nacional no Grupo Indicadores para a Sociedade da Informação (WPIIS) da OCDE. 1996-2002 Representante nacional no Working Party of R&D and Innovation Survey, do Eurostat. 1996-2002 Representante nacional no Grupo NESTI (Working Party on National Experts on Science and Technology Indicators) da OCDE. 1985-1989 Participação nos trabalhos de instalação do Arquivo Histórico-Social na Biblioteca Nacional de Lisboa. 1978-1985 Actividade profissional e funções de direcção, coordenação e consultoria, em diferentes instituições públicas e privadas, nos domínios da gestão dos recursos humanos e da formação profissional. - Autora de diversos trabalhos publicados, com especial destaque nas áreas de Sociologia das Profissões, Sociedade da Informação e da Análise de Políticas Públicas. - Coordenação de projectos de investigação e grandes operações de inquérito. - Orientação de teses de mestrado e doutoramento.
Maria Inês Amaro Maria Inês Amaro é doutorada em Serviço Social, pela Universidade Católica Portuguesa; mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias da Informação, pelo ISCTE, e licenciada em Serviço Social, pelo Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa. Professora na licenciatura, mestrado e doutoramento em Serviço Social do ISCTE-IUL e investigadora integrada do CIES. Tem interesses de investigação nas áreas da teoria e prática do Serviço Social, da Sociedade e Tecnologia e da Exclusão Social e Trabalho. Consultora na área do planeamento social e avaliação. Autora do livro Urgências e Emergências do Serviço Social: Fundamentos da profissão na contemporaneidade (2ª edição, 2015, UCE) e dos capítulos "A dimensão relacional do fenómeno da pobreza contemporânea: desafiliação, laço social e vida urbana" (in Estudos sobre a Pobreza em Portugal, Associação Portuguesa de Sociologia, 2015, Húmus) e "Um admirável mundo novo? Tecnologia e intervenção social na contemporaneidade" (in Serviço Social - Teorias, metodologias e práticas reflexivas, 2014, Lidel, PACTOR). Co-autora dos livros Vidas de Missão: 25 anos de voluntariado do Leigos para o Desenvolvimento (2012, UCE, coord.); Os Caminhos da Pobreza: perfis e políticas sociais na cidade de Lisboa (2010, SCML, coord.s Alexandra Castro e Isabel Guerra) e Estranhos: juventude e dinâmicas de exclusão social em Lisboa (2000, Celta, coord. José Luís Garcia). Autora de artigos e traduções nas áreas de investigação assinaladas.
Maria João Pena é doutorada em Serviço Social pelo ISCTE-IUL; mestre em Sociologia pelo ISCTE-IUL e licenciada em Serviço Social pelo Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa. Diretora da licenciatura em serviço social, leciona igualmente no mestrado e doutoramento em Serviço Social e é investigadora integrada do CIES. Tem como interesses de investigação a teoria e a epistemologia em serviço social, as práticas de serviço social com crianças e famílias, na escola e na deficiência. 
Professora associada no ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa nas áreas de Sociologia e Políticas Públicas e investigadora do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL).
Interesses de investigação Democracia de proprietários, neutralidade política, paternalismo, pluralismo, pré-distribuição, rendimento básico, republicanismo, ética aplicada.   Formação 2003-2008: Doutoramento em Filosofia Política no Centro Raymond Aron, EHESS (Paris) sobre "Neutralidade política e pluralismo de valores" (summa cum laude). Supervisores: Monique Canto-Sperber (EHESS-ENS) e Daniel Weinstock (McGill University) 2001: Mestrado em Filosofia Política, Universidade Sorbonne-Paris1 1999: Licenciatura em Filosofia (DEUG, Licenciatura, Maîtrise), Universidade Sorbonne-Paris1   Experiência profissional 2017: Investigador convidado no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra 2017: Professor convidado do ISCTE, Instituto Universitário de Lisboa (professor de filosofia política contemporânea - Mestrado em Políticas Públicas) 2016: Professor convidado no Institut d'Études Politiques, Sciences-Po Grenoble 2013: Hoover Fellow, Cátedra Hoover da Universidade Católica de Lovaina 2011: Investigador convidado no Programa em Ética e Saúde da Universidade de Harvard (Harvard Medical School) 2006 - 2007: Investigador convidado no CRÉ, Universidade de Montreal   Declaração biográfica Sou professor de Filosofia Moral e Filosofia Política do Departamento de Filosofia da Universidade do Minho, onde também faço investigação no Centro de Ética, Política e Sociedade. Sou também investigador associado do CEVIPOF (Sciences Po-Paris). Os meus interesses de investigação incluem a neutralidade liberal e o pluralismo de valores, as teorias igualitárias de justiça, a ética aplicada e a relação entre arte e moral. Recentemente, publiquei (com António Baptista) um dossiê sobre a democracia de proprietários. O meu último livro (co-editado com Daniel Weinstock) foi sobre a neutralidade política (publicado pela Palgrave Macmillan em 2014; recensões por P. Vandamme para a revista Ethical Perspectives, e por Laurent de Briey para a revista Philosophiques). Antes disso, publiquei dois volumes sobre o neo-republicanismo (um deles com Vincent Bourdeau) e um dossiê sobre o libertarismo. Também publiquei um livro (com João Cardoso Rosas) sobre a avaliação ética de tecnologias controversas em conferências de cidadãos. O meu interesse pelo moralismo estético levou-me a editar uma edição especial sobre arte e moralidade.   Publicações selecionadas 2017: “Democracia de proprietários, pré-distribuição, e rendimento básico incondicional”, Revista Portuguesa de Filosofia, Vol. 73 (1): 303-316. 2017: “El acceso a los comunes y la renta básica como formas complementares de justicia predistributiva”, in Zalakain, J. & Barragué, B. (coords.) (2017). Repensar las políticas sociales: predistribución e inversión social. Madrid: Editorial Grupo 5, pp. 229-236. 2017: “Ronald Dworkin et la neutralité de l’État”, in Alain Policar (ed), Ronald Dworkin, L’empire des valeurs, Paris, Classiques Garnier, pp. 99-123. 2014: “L’amour comme émotion morale ? Partialité parentale et égalité des chances”, Raison Publique, Vol.19, pp. 177-196. 2014: (com Daniel Weinstock) Political neutrality: a Re-evaluation, Palgrave Macmillan.   Projetos Atualmente estou a preparar um volume sobre pré-distribuição e justiça social e um livro sobre o rendimento básico.   Contato * E-mail roberto.merrill@ilch.uminho.pt   * Website: https://sites.google.com/site/nrbmerrill/
Pedro Adão e Silva (Lisboa, 1974) é licenciado em sociologia (ISCTE-IUL), doutorado em ciências sociais e políticas (Instituto Universitário Europeu, Florença) e professor na Escola de Sociologia e Políticas Públicas do ISCTE-IUL. Colunista no Expresso e no Record, é comentador político na RTP e na TSF, onde é também autor do programa de música, Zona de Conforto. Integra o painel de comentadores do programa “Aposta Tripla”, na Sport-TV. É autor de Sal na Terra (2009), um livro de crónicas de surf, e de Tanto Mar (2012), em parceria com o ilustrador João Catarino. Tem coordenado a edição de vários volumes de análise das políticas públicas em Portugal e publicado vários artigos sobre políticas públicas, em particular nas áreas sociais; é ainda autor do livro, E Agora? – a crise do Euro, as falsas reformas, o futuro de Portugal (2013), coautor, com Mariana Trigo Pereira, de Cuidar do Futuro – os mitos do Estado social português (2015) e com João Tomaz de “Deixem-nos Sonhar: o caso Saltillo, Portugal e o México 86” (2017).
Pedro Seabra é Investigador de Pós-Doutoramento no Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (CEI-IUL) e Professor Auxiliar Convidado do ISCTE-IUL. É doutorado em Ciência Política, com especialização em Relações Internacionais, pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS, ULisboa) e Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL). Anteriormente foi Nuclear Security Fellow da Escola de Relações Internacionais-Fundação Getúlio Vargas (FGV), SUSI Fellow do Departamento de Estado dos EUA, e Leibniz-DAAD Research Fellow do German Institute for Global and Area Studies (GIGA). Entre 2013 e 2016, foi Investigador Visitante do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (IREL-UnB), do Centre for Governance Innovation da Universidade de Pretória (GovInn-UP) e do ICS, ULisboa. Trabalhou igualmente como Investigador do Instituto Português de Relações Internacionais e Segurança (IPRIS). Os seus interesses de investigação concentram-se na área de Relações Internacionais, Segurança Internacional, dinâmicas regionais do Atlântico Sul e security capacity-building em África.
Susana da Cruz Martins (susana.martins@iscte.pt). PhD in Sociology (specialization in Education). Assistant Professor at the Department of Political Science and Public Policy, School of Sociology and Public Policy, of the University Institute of Lisbon (ISCTE-IUL) . Gulbenkian Professorship and Researcher at the Centre for Research and Studies in Sociology (CIES-IUL). Collaborator of Inequality Observatory (OD, CIES-IUL). She has participated and coordinated several research projects, national and international, dedicated to areas of research such as education policies, comparative education systems, education and social mobility, and social classes and inequalities. Currently, through a Gulbenkian Professorship grant, she is developing the project Internationalization and development of the area of Public Education Policies and next year (2017) she will be the national coordinator of the European Project Eurostudent VI (Social and Economic Conditions of Student Life In Europe).
Voltar ao topo