Docentes

My research to date has been concerned with collective narcissism and psychological predictors of intergroup hostility. I examined the cognitive underpinnings of political beliefs related to intergroup conflict and prejudice; the role of the complexity of political reasoning; motivated closed-mindedness, death anxiety and ideological orientations such as nationalism or religious orientations in inspiring intergroup hostility. In have also examined embodiment of prejudice. I examine effects of smell on prejudice and the link between physical contacts with stigmatised group members and need for physical cleansing.  I have developed research on the concept of collective narcissism – a belief in in-group´s exaggerated image contingent on recognition from others– that predicts intergroup hostility in response to intergroup threat. I have published 12 peer-reviewed papers and 3 chapters on this research. I have recently received an advanced research grant from the Polish Science Centre to further investigate this concept. The Collective Narcissism Scale, I constructed, has been translated to many languages (full list on collectivenarcissism.com). It has been used in research conducted by the National Consortium for the Study of Terrorism and Responses to Terrorism (START) among Liberation Tamil Tiger of Eelam (LTTE) detainees in Sri Lanka. START (prof Kruglanski, dr Jasko) and three more independent labs work on this concept currently (at University of Kent, dr Cichocka, at Kardynal Wyszynski University in Poland, dr Zemojtel-Piotrowska, at ISCTE in Portugal, dr Guerra). The Scale has been included in the PSYCTESTS APA database.
César Lima é Professor Auxiliar de Psicologia no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) desde 2018. A sua investigação centra-se na psicologia e neurobiologia da comunicação vocal, emoções e música. Combina métodos da psicologia experimental e da neurociência cognitiva para abordar estes tópicos, em indivíduos saudáveis de todas as idades, em populações especializadas (e.g., músicos) e em populações clínicas (e.g., com alterações neurológicas ou psiquiátricas). Publicou mais de 25 artigos em revistas incluindo a Emotion, Cerebral Cortex, Brain, Current Biology, Trends in Neurosciences e Nature Reviews Neuroscience. César Lima faz parte do corpo editorial da Scientific Reports (categoria Neurociência), e tem sido convidado para rever artigos para revistas como a Psychological Bulletin, American Psychologist, NeuroImage, ou Emotion, e propostas de projetos de investigação para a Leverhulme Trust, Royal Society e Czech Science Foundation. Antes de integrar o ISCTE-IUL, César Lima doutorou-se em Psicologia na Universidade do Porto (2008-2011), foi investigador pós-doutorado no Institute of Cognitive Neuroscience - University College London (2012-2016) e regressou à Universidade do Porto como Investigador Auxiliar ao abrigo do programa Investigador FCT (2016-2017). O seu trabalho como investigador principal tem sido financiado pela British Academy e pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). No ISCTE-IUL, tem ensinado Psicofisiologia e Genética, Neuropsicologia, Raciocínio e Linguagem, Bases Biológicas das Emoções, e Avanços em Neurociências Afetivas. É também o atual diretor do Mestrado em Ciências em Emoções.     
Carla Moleiro é Professora Auxiliar no Departamento de Psicologia Social e das Organizações da Escola de Ciências Sociais e Humanas do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. É Doutorada em Psicologia Clínica pela University of California, Santa Barbara, Estados Unidos da América, em 2003. Inicialmente, especializou-se em Psicologia Clínica na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, e como psicoterapeuta na Associação Portuguesa de Terapias Comportamentais e Cognitivas. Tem desenvolvido trabalho clínico e de investigação sobre perturbações complexas e duplos diagnósticos, perturbações de personalidade, e presentemente com clientes imigrantes, de minorias étnicas e sexuais (LGBT). Actualmente, é investigadora do Centro de Investigação e Intervenção Social (CIS), trabalhando sobre saúde mental e diversidade, bem como competências clínicas para a diversidade individual e cultural. O seu trabalho também inclui questões da psicologia comunitária, ética, e intervenção com populações de risco e protecção de menores.É presentemente a diretora do CIS-IUL.
Cecília Aguiar é Professora Auxiliar no Departamento de Psicologia Social e das Organizações e investigadora no CIS-IUL - Centro de Investigação e Intervenção Social. Com formação em psicologia do desenvolvimento e da educação, tem conduzido e participado em projetos de investigação no âmbito da qualidade dos contextos de educação de infância e dos seus efeitos no desenvolvimento social das crianças. Atualmente, coordena a participação portuguesa nos projetos europeus ISOTIS, KIT@ e BECERID, o último dos quais lançou recentemente o blogue PrimeirosAnos.pt, um recurso dirigido a profissionais de educação de infância, baseado em investigação. Cecília Aguiar é, atualmente, Editora Associada do Early Childhood Research Quarterly.  
Diniz Lopes iniciou as suas actividades académicas em 1997 como Investigador Junior no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa até ao ano 2000. Em 1998, foi contratado pelo ISCTE-IUL onde continuou a desenvolver as suas actividades de investigação e de ensino. Em 2007 obteve o seu doutoramento em Psicologia Social no Departamento de Psicologia Social e das Organizações, Escola de Ciências Sociais e Humanas, ISCTE-IUL, onde é, presentemente, Professor Auxiliar. Entre 2010 e 2013 foi bolseiro de pós-doutoramento FCT nas universidades de Paris Ouest e Paris Descartes e na Universidade do Porto. Os seus interesses de investigação actuais centram-se na análise do compromisso, infidelidade, monogamia e não-monogamia, derrogação de alternativas e comportamentos de permanência-abandono em relações românticas; nos mecanismos utilizados pelos senso-comum para validar o seu conhecimento quotidiano; na aplicação de modelos estatísticos à análise de dados em Psicologia. Os seus trabalhos encontram-se publicados em diferentes revistas nacionais e internacionais, tais como Behavior Research Methods, PlosONE, The Journal of Sex Research, Archives of Sexual Behavior, Group Processes and Intergroup Relations, Cyberpsychology, Behavior and Social Networking, Personal Relationships, entre outras. 
Fabio Fasoli was awarded a PhD in 2011 at University of Trento (Italy). He was a postdoc at  CITEC (University of Bielefed, Germany, 2012), University of Padua (Italy, 2013) and University of Milano Bicocca (2015/2016). In 2014-2015 he was a post-doc at ISCTE in a project entitled "Sharing what other believe: Separating information stereotypicality and complexity in communication" (by Dr. Elizabeth Collins). In 206/2018 he was a Marie Curie research fellow at the University of Surrey and since October 2018 he is a Lecturer in Social Psychology at Surrey. Many of his research involves collaborations with CIS/ISCTE-IUL members.His research interests are: social communication, derogatory language, acoustic gaydar and its consequences, sexism, sexual objectification and dehumanization. 
Paula Castro é Professora Associada com Agregação de Psicologia Social no Departamento de Psicologia Social e das Organizações, da Escola de Ciências Sociais e Humanas, do ISCTE-IUL É Doutorada pelo ISCTE em Psicologia Social e Organizacional, na Especialidade de Psicologia Social, Ambiental e Comunitária e Licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. É também Investigadora do CIS-IUL. Tem estudado os processos psico-sociais que estão envolvidos na recepção por indivíduos e comunidades das inovações legislativas e tecno-científicas. Tem nomeadamente examinado a recepção de novas leis relacionadas com a sustentabilidade, como as que promovem o envolvimento do público, a protecção da biodiversidade e os comportamentos de conservação. Uma segunda área de interesse é a da reflexão sobre os fundamentos das teorias e modelos da psicologia social e uma terceira área é a da memória social.
Licenciada em psicologia clínica (Univ de Coimbra), com especialidade avançada em psicoterapia (OPP), é Professora Auxiliar no ISCTE-IUL e investigadora no CIS-IUL. Fez mestrado e doutoramento em psicologia social  no ISCTE-IUL (com estágio de investigação na Univ. de Adelaide, Australia), obtendo assim, a especialidade em Psicologia do trabalho, social e das organizações (OPP). Tem colaborado em projetos de intervenção social e comunitária, sobretudo no âmbito da sua avaliação, a nível local (ex., Communication for Integration - C4i/Amadora), a nível nacional (ex., Avaliação e monitorização - Ex., Projeto Playgroups for inclusion/Grupos Aprender, Brincar, Crescer) e internacional (ex., projeto ISCWeB - International survey on children's well-being; GRIT - Projeto Eramus+ - Growing in Urban Education and Diversity). Colaborou recentemente como Quality Monitor do Australian Council for Educational Research (ACER) num projeto liderado pela OCDE sobre competências socioemocionais. Para além do seu interesse pela área da inclusão (tendo estado envolvida na Carta Portuguesa para a Diversidade), nos últimos anos tem trabalhado na área do risco (Gambling e adolescência, com a Universidade de Nottingham Trent) e da proteção de crianças e jovens, desenvolvendo, em colaboração com outras colegas, materiais de prevenção primária do abuso sexual ("As Aventuras do Búzio e da Coral"; "Picos e Avelã à descoberta da Floresta do Tesouro") e de audição da criança ("Audição da criança: Guia de boas práticas"; "O João vai a tribunal/O dia que a Mariana não queria"). Em 2017 participou no projeto T.A.L.E. (Training Activities for Legal Experts) que procurou formar profissionais para uma correta implementação das Diretrizes do Conselho Europeu para uma Justiça amiga da Criança. Formadora, juntamente com Rute Agulhas, no CEJ, sobre Audição da Criança em 2016 e 2017. Faz supervisão a Equipas de apoio a famílias (SCML) e é consultora da Revista de Psicologia da IMED (Brasil). Atualmente é diretora do Mestrado em Psicologia Comunitária e Proteção de Crianças e Jovens em Risco (ISCTE-IUL) e Presidente do Conselho pedagógico do ISCTE-IUL.
João Manuel de Oliveira é atualmente Professor Visitante Associado na Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil. Trabalha sobre Estudos de Género, Estudos Críticos da Sexualidade e Teoria Feminista, assente num entendimento performativo do género, dentro de uma epistemologia feminista pós-estruturalista. As suas publicações recentes tratam de interseccionalidade e hifenização, homo/heteronormatividade, conhecimentos des/subjugados e genealogias excêntricas, teorias feministas anti-racistas e anti-essencialistas, teoria queer, estudos trans*, arte e dança contemporânea, as relações intrincadas entre conhecimentos, corpos, políticas e poder no quadro das economias políticas neoliberais. 
Lígia Monteiro é doutorada pela UNL/ISPA-IU, sendo atualmente Professora auxiliar no Instituto Universitário de Lisboa – ISCTE (Departamento de Psicologia Social e das Organizações), e investigadora integrada no CIS-IUL (grupo CED - Community, Education and Development). Tem formação na área da Psicologia Educacional e do Desenvolvimento, tendo participado em vários projetos de investigação onde estudou/a o impacto da Parentalidade (mãe e pai) e das dinâmicas familiares no ajustamento social e emocional da criança ao longo dos primeiros anos de vida. Encontra-se, atualmente, envolvida em diversos projetos, com saliência para o Papel do Pai no desenvolvimento socio-emocional da criança. Integra equipas de projetos europeus (e.g., Media competency training for professionals in day-care centers and comparable institutions in rural areas of Europe - ERASMUS+_KA202_KITA@; Growing in uRban educatIon and diversiTy -ERASMUS+_KA201_GRIT).
Manuela Barreto studied Work and Organizational Psychology at the University of Porto, Portugal and obtained her PhD in Social Psychology in 2000 from the Free University, Amsterdam, the Netherlands. Manuela worked as an Associate Professor at Leiden University, the Netherlands (where she received the Heijmans early career prize), as full time Researcher at the Centre for Social Research and Intervention in Lisbon (CIS--ISCTE/IUL), and is since September 2011 a Full Professor of Social and Organizational Psychology at the University of Exeter. Manuela has led the University of Exeter's Humanities, Arts, and Social Sciences research strategy theme on "Societal and Lifestyle Shifts" and was part of the University's Athena Swan Working Group. She is currently Head of Psychology and Deputy Director of the Wellcome Centre for Environments and Cultures of Health. Manuela’s research focuses on identity and belonging, with a specific focus on the impact of social stigma on social relationships. Manuela is also very interested in loneliness, in particular its cultural aspects and relation to forms of exclusion.
MARGARIDA E SÁ DE VAZ GARRIDO, Doutorada em Psicologia  (2007), é Professora Auxiliar no ISCTE-IUL, onde leciona desde 1998. A sua investigação fundamenta-se teoricamente na psicologia social e numa abordagem situada da cognição humana, que enfatiza a importância do contexto onde a atividade cognitiva se desenvolve. Tem aplicado esta abordagem ao estudo da memória, representações cognitivas, e processamento de uma segunda língua. Paralelamente, tem explorado as suas implicações no estudo da parentalidade abusiva, das imagens sociais de crianças/jovens institucionalizados, processamento mnésico em populações clínicas e ainda, nas áreas da psicologia do consumo, marketing e comportamento alimentar. Tem coordenado diversos projetos de investigação financiados (FCT, UE), assim como bolseiros de doutoramento e pós-doutoramento. Obteve ainda várias bolsas individuais que lhe permitiram trabalhar durante o Doutoramento na Universidade da Califórnia - Santa Bárbara e mais recentemente, na Universidade Utrecht.O seu trabalho de investigação tem sido publicado em dezenas livros, capítulos e revistas científicas internacionais (e.g. Journal of Experimental Social Psychology, European Journal of Social Psychology, Experimental Psychology, Social Cognition, Cognition and Emotion, Behavior Research Methods). É também editora e co-autora de publicações pedagógicas, incluindo manuais, capítulos e artigos dirigidos a estudantes/investigadores.   Tem assumido cargos de gestão académica e científica, nomeadamente a direção do Departamento de Psicologia Social e das Organizações e do Mestrado de Psicologia Social e das Organizações. Foi também Vice-Diretora do CIS-IUL e Presidente da Associação Portuguesa de Psicologia. Atualmente é Diretora do Progama de Doutoramento em Psicologia.      
Nascida em Ovar em 1959, licenciou-se em Psicologia na Universidade de Lisboa e desde 1982 desenvolveu a sua carreira académica no ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa (onde se doutorou em 1994 e agregou em 2004) e de investigação no Centro de Investigação e de Intervenção Social do ISCTE-IUL. Centra os seus interesses de investigação nas questões associadas à percepção de riscos, incluindo as suas consequências para a participação do público em processos de tomada de decisão. Neste domínio, participou e coordenou diversos projectos de investigação sobre os factores sociais que afectam a percepção de diversos riscos (ambientais e de saúde). A sua especialização no domínio da percepção de riscos tem-na também convocado frequentemente para a consultoria de projectos públicos e privados de grandes dimensões, como é o caso do Plano Nacional da Água (com o INAG) ou da construção de novas Barragens (com a EDP). Colabora regularmente na docência de outras universidades nacionais e estrangeiras e tem uma diversificada lista de publicações em revistas científicas nacionais e internacionais. Orientou 70 teses mestrado e 10 de doutoramento defendidas com sucesso e teve diversos projectos financiados em concursos científicos com júris internacionais. Foi presidente da Associação Portuguesa de Psicologia (2006-2010), membro do Conselho Científico de Ciências Sociais e Humanidades da FCT (Fundação para a Ciência e a Tecnologia, 2010-2012) e Membro do Standing Commitee for Social Sciences da European Science Foundation (2007-2011). É membro dos painéis de avaliação da A3ES (Psicologia, desde 2011), do European Research Council (CSH4 - The Complexity of Human Mind, desde 2009), das bolsas pos-doc da AXA (desde 2014) e do Danish Research Council (2014-2015).
Sou professor convidado no ISCTE-IUL e investigador no CIS-IUL. Os meus interesses de investigação concentram-se em questões relacionadas com estereótipos e relações intergrupais, estigma social e linguagem.
Ricardo Borges Rodrigues é Professor Auxiliar Convidado do ISCTE-IUL e Investigador Integrado no CIS-IUL. Doutorado em Psicologia Social e das Organizações, desenvolve investigação, com vários trabalhos publicados, na área das relações intergrupais na infância e adolescência, nomeadamente sobre o desenvolvimento e a expressão do preconceito e da discriminação em contextos educativos. É Director do Mestrado em Psicologia das Relações Interculturais e o coordenador académico local do Erasmus Mundus Global Mobility, Inclusion and Diversity in Society (Global-Minds). É, ainda, coordenador do Projeto TEIP3 no CIS-IUL (consultoria a agrupamentos de escolas) e co-coordenador do projeto de investigação “O desenvolvimento social dos valores humanos na infância e na adolescência (FCT - PTDC/SOC-SOC/30635/201). No âmbito da atividade de extensão universitária, integra comissões de peritos, designadamente a Comissão de Acompanhamento e Fiscalização dos Centros Educativos (desde 2016) e o grupo de acompanhamento do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular na Direcção Geral da Educação (desde 2017).  
Os meus interesses de investigação são sobre como processos cognitivos - atenção, percepção, e memória - nos permitem interagir com o mundo social e não-social. Nomeadamente, de que modo nos permitem formar impressões acerca da personalidade dos outros, fazer inferências acerca deles, e reconhecer emoções, e interagir com o mundo não-social como marcas e bens de consumo. Têm-me interessado também processos de linguagem, em particular o modo como a linguagem molda o conhecimento do mundo. Recentemente, tenho estudado estas questões em populações clínicas e grupos específicos, e usado medidas de activação cerebral para lhes responder.
M.S. (2003) and a PhD (2008) in Social Psychology of Health (ISCTE-IUL). Assistant Professor with tenure at the Department of Social and Organizational Psychology of ISCTE-IUL, where she started teaching in 1999. Former Vice-Dean of the School of Social Sciences and Humanities and Director of the Master in Social Psychology of Health, she is currently the Director of the Undergraduate Course in Psychology and the Coordinator of the Research Group Health for All (H4A), of the Centre for Social Research and intervention (CIS-IUL). Fascinated by the (social) mind-body relations, she has dedicated much attention to such issues in her teaching and research. Her main research interests have generally revolved around social disparities in health and the role of psychosocial influences on chronic illness adaptation processes. She has mainly explored these issues in relation to a particular health-related topic – (chronic) pain. More specifically, her current main lines of research aim to: (1) understand the psychosocial processes accounting for health-care professionals’ (gender and social status) biases in the assessment and treatment of a patient’s pain; (2) investigate the role of interpersonal dynamics in pain experiences, namely, pain-related social support interactions for the promotion of functional autonomy among (older) adults with (chronic) pain.  In her research she uses a wide range of quantitative (e.g., experimental), qualitative (e.g., grounded-theory) and knowledge synthesis methodologies (e.g., scoping reviews).  Several scientific awards have recognized her scientific contributions, namely, the Research Merit Award of the Portuguese Health Psychology Society (2008), Young Researcher Award of the Portuguese Psychological Association (2013), Best Paper Awards by the Portuguese Association for the Development of Pain Therapies (ASTOR) and, more recently, the Grüenenthal PAIN Prize 2016.
Voltar ao topo