Funcionam no Iscte oito Unidades de Investigação, avaliadas e classificadas pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, duas delas com classificação de excelente e as restantes com classificação de muito bom. No total, reunem 1296 membros, correspondendo a 707 ETI, dos quais 252 ETI são doutorados elegíveis.

Os investigadores e colaboradores estrangeiros, oriundos de 52 países, representam 16% do total da comunidade científica do Instituto, dos quais 88 investigadores são membros doutorados elegíveis (FCT) e 36% são membros da equipa a tempo integral. Os investigadores estrangeiros são provenientes, maioritariamente, da Europa (47%) e da América (33%), sendo as duas nacionalidades mais representadas a brasileira (24%) e a italiana (19%).

Os investigadores das oito unidades de investigação do Iscte publicaram um total de 1905 publicações, com uma taxa média de crescimento de 29,6% no número de artigos científicos (incluindo revisões de literatura) publicados em revistas classificadas no quartil superior (Q1) dos rankings JCR (Clarivate Analytics) e SJR (Scopus). A citação média por documento é de 7,4 na WoS e 7,6 na Scopus. Do total de publicações, 79% são publicações com revisão científica e 30% das publicações com revisão científica foram publicadas em revistas posicionadas no quartil 1 dos rankings JCR (Thomson Reuters) e SJR (Scopus).

Estão a decorrer 249 projetos de investigação, dos quais 65% foram financiados por programas nacionais, nomeadamente FCT e outros organismos, 27% financiados por fundos internacionais e 7% sem financiamento externo. De salientar ainda que dos 148 projetos liderados por equipas do Iscte 16% são internacionais.

As oito unidades de investigação do Iscte participaram em 174 redes de I&D e atividades de cooperação científica, das quais 73% foram internacionais, destacando-se a coordenação de duas redes de colaboração COST (European Cooperation in Science & Technology).

Back to top